LEITURA ADICIONAL PARA O CAPÍTULO 5
Voltar ←
Capacidade Produtiva das Pastagens Existentes
Produtividade Atual e Capacidade de Suporte Sustentável de Pastagens Cultivadas no Brazil

De acordo com Strassburg et al. 2014, a produtividade atual dos 115 milhões de hectares de pastagens cultivadas no Brasil é apenas 32–34% do seu potencial; aumentar a produtividade para 49–52% do potencial poderia ser suficiente para satisfazer a demanda por carne (assim como por lavouras, produtos madeireiros e biocombustíveis) até 2040, pelo menos, sem conversão adicional de ecossistemas naturais.63 Como resultado, até 14.3 Gt CO2 Eq. poderiam ser mitigados.64

Produtividade Atual e Capacidade de Suporte Sustentável de Pastagens Cultivadas no Brazil62
Maps from Strassburg et al. 2014

Isto significa que a produtividade atual é estimada em 94 milhões de unidades animais, mas a capacidade de suporte potencial total poderia ser de 274 a 293 milhões de unidades animais, indicando um grande potencial para aumentar a produtividade.65 Como descrito por Strassburg, et al. 2014, a baixa produtividade atual das pastagens brasileiras é resultado de:

1) baixos níveis de tecnologia caracterizados por manejo inadequado de pastagens (sobrecarga animal e falta de adubação de manutenção), levando a uma degradação generalizada e manejo animal deficiente (saúde, nutrição e reprodução), resultando em baixo desempenho animal;66

2) especulação imobiliária, onde a pecuária é um meio para garantir a posse da terra com o objetivo de vendê-la quando a ​​fronteira agrícola avançar (no Brasil, estabelecimentos rurais que não são explorados ​​ativamente podem ser desapropriadas para a reforma agrária e a pecuária extensiva está entre as formas mais simples de demonstrar uso);67

3) posse da terra não assegurada, o que desestimula investimentos em aumento de produtividade e incentiva a exploração que leva à degradação;68

4) falta de crédito de longo prazo para os custos iniciais de aumento da produtividade e não-conformidade das propriedades com as leis ambientais, impedindo seu acesso ao crédito;69

5) falta de serviços de extensão e capacitação adequadas com foco na produtividade pecuária.70

A degradação das pastagens é uma das principais causas da baixa produtividade da pecuária de corte e é uma das causas do desmatamento e conversão de ecossistemas nativos. Aproximadamente 50% das áreas de pastagens cultivadas no Cerrado71 e mais de 60% no bioma amazônia são consideradas degradadas.72 Em 2010, quase 40% da área desmatada na Amazônia era de pastagens degradadas ou áreas abandonadas.73

Práticas de intensificação moderada e de gestão sustentável da fazenda podem fornecer soluções potenciais para ajudar a melhorar a produtividade das pastagens e do rebanho. Os esforços destinados a enfrentar as cinco questões que levam à baixa produtividade (ver acima) podem ajudar a reduzir o potencial de degradação de pastagens e, portanto, reduzir as pressões para se desmatar mais.

62. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
63. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
64. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
65. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
66. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
67. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
68. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
69. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
70. Strassburg, B. B. N., et al. 2014. When enough should be enough: Improving the use of current agricultural lands could meet production demands and spare natural habitats in Brazil. Global Environmental Change, Vol. 28, 84-87.
71. Costa, F.P. and Rehman, T., 1999. Exploring the link between farmers’ objectives and the phenomenon of pasture degradation in the beef production systems of Central Brazil. Agricultural Systems, Vol. 61, Issue 2, 135–146.
72. Dias-Filho, M.B., Andrade, C.M.S., 2006. Pastagens no Trópico Úmido. Documentos 241. Embrapa Amazoˆnia Oriental.
73. Embrapa and INPE, 2013. Levantamento de informacoes de uso e cobertura da terra na Amazonia – 2010.