LEITURA ADICIONAL PARA O CAPÍTULO 2
Voltar ←
Consumo Interno e Mercados de Exportação

O mercado de exportação de carne bovina brasileira se expandiu rapidamente nas últimas décadas, ultrapassando o crescimento do consumo interno no Brasil. Entre 1994 e 2009, o consumo interno de carne aumentou em quase 50%.42 Neste mesmo período, as exportações aumentaram mais de 500%. A exportação de carne bovina tem continuado a crescer, com o valor das exportações brasileiras de carne bovina atingindo o recorde de US $ 7,2 bilhões em 2014.43

Consumo Interno versus Exportações da Carne Brasileira (Equivalente carcaça x1000 toneladas)41
Fontes: ABIEC. 2016. Perfil da Pecuaria no Brasil., Brazilian National Beef Cattle Council. 2009. Beef Cattle Datasheet.

O crescimento da participação relativa das exportações ajuda a destacar a importância crescente de participantes globais da cadeia de abastecimento e o nível de integração de produtos de carne bovina brasileira no mercado mundial, especialmente em países como a Rússia e a China (incluindo Hong Kong), que representam a maior parte do comércio.

Pela compra responsável e compromissos de produção com desmatamento zero comprovado, os atores da cadeia de abastecimento, tanto no Brasil quanto no exterior, podem apoiar as práticas de pecuária conservacionista (forest friendly) e ajudar a conservar áreas ecologicamente sensíveis, como a Amazônia.

41. Walker, N.F., Patel, S.A., and Kalif, K.A.B. 2013. From Amazon pasture to the high street: deforestation and the Brazilian cattle product supply chain. Tropical Conservation Science – Special Issue, Vol. 6 (3): 446-467.
42. Walker, N.F., Patel, S.A., and Kalif, K.A.B. 2013. From Amazon pasture to the high street: deforestation and the Brazilian cattle product supply chain. Tropical Conservation Science – Special Issue, Vol. 6 (3): 446-467.
43. Walker, N.F., Patel, S.A., and Kalif, K.A.B. 2013. From Amazon pasture to the high street: deforestation and the Brazilian cattle product supply chain. Tropical Conservation Science – Special Issue, Vol. 6 (3): 446-467.